terça-feira, março 06, 2007

Cenografia: tipos de palco

Um dos primeiros aspectos a considerar na montagem de um espectáculo teatral, passa por sabermos com que palco podemos contar, ou seja, saber qual o lugar onde se vai erguer o espectáculo a que se propõe.

O local onde encenar é particularmente importante, até porque em Cabo Verde são muito poucos os espaços equipados ou construídos para o Teatro. Temos portanto que adaptar o espaço que temos disponível às nossas necessidades cénicas.

Tradicionalmente existem cinco espécie de palcos:

A) O “tréteau” ou tablado descoberto: consiste essencialmente num estrado encostado a uma parede, ou no caso de teatro ao ar livre, encostado a um monumento. Só a essa parede se podem encostar os elementos do cenário e tem condições para ter o público circundando-o por três lados. Era o palco habitual da Commedia Dell’Arte e dos teatros de feira. Em geral quando um espectáculo decorre num tablado descoberto não se usa pano de boca. Este é o tipo de palco que, por razões estruturais mais se utiliza em Cabo Verde. Mesmo que não haja estrado, basta um espaço, pomos o público num lado e apresentamos o espectáculo no outro. No antigo edifício do Centro Cultural Português (prédio do Amarante), onde encenamos as nossas primeiras peças, foi isso que fizemos, embora por vezes possamos tentar elevar algumas zonas do público com estrados para uma melhor visibilidade.

B) O palco à italiana: é o palco mais habitual, o mais clássico, e o que geralmente encontramos nas salas dos grupos de teatro profissionais. Classicamente, funciona como um mundo separado do mundo do público, que a ele assiste como ao espectáculo de um quadro vivo. Em Cabo Verde, como exemplos deste tipo de palco temos o Éden Park, no Mindelo, o auditório Jorge Barbosa e o auditório da Assembleia Nacional, na Praia.



C) O palco à inglesa: que mais não é do que uma variante do palco à italiana, mas em que a parte da frente do palco - a ribalta - é anulada, sendo ao palco acrescentado uma espécie de corredor central. É o caso dos teatros da época de Shakespeare, como o Globe Theatre. Em Cabo Verde, não existe nenhuma estrutura deste tipo.



D) O palco rebaixado ou anfiteatro: difere do palco à italiana e do palco à inglesa apenas pelo local destinado ao público que, por se sentar num anfiteatro, tem uma visão mais clara do palco. É o exemplo que todos melhor conhecemos, pois corresponde à descrição do auditório do Centro Cultural do Mindelo, a sala mais utilizada pelos grupos teatrais de Cabo Verde.

E) O palco de arena: consiste apenas num grande estrado colocado no meio dos espectadores, ou até, um espaço central sem estrado. Este tipo de palco, dispensa todo o cenário, impossibilita as ocultações, apenas realizadas em momentos por um corte de luz. Os circos tradicionais funcionam neste tipo de estruturas que podem ser feitas em qualquer local e por isso é uma boa hipótese para quem faz teatro em Cabo Verde.



Seja como for, e no que diz respeito ao lugar onde representar a peça que queremos encenar, não nos devemos preocupar muito com isso. Tudo é adaptável. Como já se disse aqui, basta que haja um espaço vazio e material humano, o resto virá por si.

Foi o que aconteceu, por exemplo, na peça “O Fantasma de S. Filipe”, feita no átrio do Centro Nacional de Artesanato em Mindelo, onde a encenação se teve que adaptar ao espaço e não o contrário.

Quando não temos meios, temos que usar a imaginação. “O vazio no teatro permite à imaginação encher os buracos. De maneira aparentemente paradoxal, quanto menos lhe damos mais satisfeita fica. A imaginação fica muito feliz por jogar o jogo” (Peter Brook, In “O Diabo é o Aborrecimento”).

Etiquetas: , ,

1 Comments:

Blogger murilo said...

Gostaria de saber nos palcos abaixo qual tipo de espetaculo é p/ cada um
Palco retangular
Palco Ferrradura
Palco Semicircular
Palco Misto , estou fazendo um trabalho de Artes e foi solicitado uma apresentação sobre os palcos |Italianos.

10:46 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home