quinta-feira, maio 17, 2007

Iluminação: Tipos de luz



Luz frontal «full»: A angulação clássica é 45º, pois não encandeia os olhos do actor, ilumina-o bem e a sua sombra quase que corresponde ao tamanho dele projectado no chão.

Luz frontal lateral: os projectores estão colocados lateralmente, mas de forma frontal. Neste caso, temos um projector, do lado direito (do ponto de vista do público.




Luz cruzada: promovendo o cruzamento das luzes, automaticamente reduz-se muito as sombras. Afinando com vários projectores de forma cruzada, uma sombra anula a outra, permitindo assim um outro tipo de tratamento.



Contra luz: luz que banha os actores por trás. Hoje em dia usa-se muito a contra luz para criar e projectar sombras, originando em muitos casos efeitos bem interessantes. Esta luz pode ser afinada de uma forma directa ou cruzada.



Luz de lateral: inicialmente era muito utilizada em espectáculos de dança, pois serve para delinear a forma do corpo dos bailarinos(as), mas hoje em dia está a ser usada muito também em teatro.

Luz de lateral dupla: aqui o realce do corpo é dado pelos dois lados, em simultâneo, criando uma boa definição corporal.



Luz picada: é uma luz pontual, colocada, numa localização que corresponde à posição exacta do actor em cena. É um efeito que salienta um certo carácter «fantasmagórico» e dramático à cena.



Luz da ribalta: é usada em frente do palco para suprimir sombras que possam existir na face dos actores, sendo também muito utilizada para marcar o espaço até onde o actor pode ir.



Luz «total»: quando o actor é iluminado, simultaneamente, por projectores colocados atrás, á frente e nas duas laterais. É a forma de iluminação mais utilizada, para a luz geral, por exemplo. Dá profundidade visual à cena e suprime as sombras projectas no palco.

Etiquetas: